Centro de Práticas e Saberes Decoloniais
C.P.S.D.

PERTENCIMENTO E IDENTIDADE, TERRITORIALIDADE E FRONTEIRA ENTRE OS CHIQUITANOS NO BRASIL E NA BOLÍVIA

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Baixar [534.46 KB]

Pretende-se refletir, a partir da história do povo Chiquitano, originalmente um
conjunto de mais de vinte etnias que foram aldeadas pelos jesuítas na missão de
Chiquitos, elementos de sua identidade e etnicidade contemporâneas. A proposta que se
apresenta é a de entender como se situam atualmente as identidades, relacionadas com as
territorialidades experienciadas na Bolívia e no Brasil, uma vez que este povo está
atualmente cindido parcialmente pelo fato de terem sido fracionados em duas partes a partir
da divisão dos estados nacionais. O fato de viverem em um ou outro país provoca diferentes
experiências e proposições identitárias; no entanto, até a década de 1980, a fronteira entre
os dois países, ainda não totalmente institucionalizada, permitia um trânsito de um para
outro lado, mas para além disso, permitia relações sociais e manutenção de redes de
parentesco. Como se desenham as identidades atualmente, na diversidade territorial e
histórica? Como estão desenhadas as territorialidades dos Chiquitanos na Bolívia e no
Brasil se as políticas indigenistas são distintas? Como ocorrem as autoidentificações,
sendo que há distintos conceitos para “índios” – aqui, povos indígenas e, na Bolívia,
“campesino” ou “pueblos originales”? De que maneira o reconhecimento oficial da
etnicidade dos Chiquitanos no Brasil trouxe novos elementos suscitadores de conflitos? Estas
são questões que se pretende responder neste artigo.

 

A imagem que apresenta o post faz parte da produção de arte indígena contemporânea presente no projeto Retomada Epistêmica (https://retomadaepistemica.hotglue.me/inicio).

Pin It on Pinterest

Compartilhar